Oração do Professor

Dai-me, Senhor, o dom de ensinar,Dai-me esta graça que vem do amor.Mas, antes do ensinar, Senhor,Dai-me o dom de aprender.Aprender a ensinar. Aprender o amor de ensinar.Que o meu ensinar seja simples, humano e alegre, como o amor. De aprender sempre.Que eu persevere mais no aprender do que no ensinar.Que minha sabedoria ilumine e não apenas brilheQue o meu saber não domine ninguém, mas leve à verdade.Que meus conhecimentos não produzam orgulho,Mas cresçam e se abasteçam da humildade.Que minhas palavras não firam e nem sejam dissimuladas,Mas animem as faces de quem procura a luz.Que a minha voz nunca assuste,Mas seja a pregação da esperança.Que eu aprenda que quem não me entendePrecisa ainda mais de mim,E que nunca lhe destine a presunção de ser melhor.Dai-me, Senhor, também a sabedoria do desaprender,Para que eu possa trazer o novo, a esperança,E não ser um perpetuador das desilusões.Dai-me, Senhor, a sabedoria do aprenderDeixai-me ensinar para distribuir a sabedoria do amor.(Antonio Pedro Schlindwein)

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

No Sítio do seu Lobato-texto

TEMA: NO SÍTIO DO SEU LOBATO ( natureza)

Era, uma vez um homem simples, que amava a natureza, os animais e as plantas. Chamava-se “Seu” Lobato e vivia num sítio, numa casinha e confortável, com sua mulher e seus animais de estimação. Todos os animais eram felizes porque recebiam muito carinho e atenção dos seus donos.
A primeira coisa que Seu Lobato e sua esposa faziam ao acordar era tratar dos bichinhos, dando a cada um sua comida predileta.
Havia um porquinho comilão, um pato e um ganso muito amigos uma ovelha muito carinhosa,um gato,um cachorro, e um sapinho que adorava pular na frente de quem passava para dar um “sustinho”.
Um dia, o porquinho sumiu. Seu Lobato e sua esposa ficaram muito tristes e até choraram. Todos os outros animais estavam sentindo muita falta do amigo porquinho e cada um tratou de ajudar a procurar nos lugares que mais conheciam do sítio. Combinaram de ir cada um de um lado.
Até que o sapinho, que pulava rapidamente por todos os lugares, encontrou o porquinho deitado embaixo de uma árvore carregadinha de frutas maduras e ele já havia comido todas que caíram da árvore. Ficou tão pesado e barrigudo que nem conseguia sair de lá e voltar para casa.
Foi necessário o “Seu” Lobato ir buscá-lo. O sapinho foi pulando avisar e “Seu” Lobato logo compreendeu que ele queria que o seguisse. Assim conseguiu encontrar seu porquinho comilão.
O porquinho teve até que tomar remédio para dor de barriga, de tanto que comeu, mas aprendeu a lição, agora já sabe que não pode comer tanto de uma só vez. Essa foi a história elaborada pela professora com a minha ajuda e a ajuda dos pequeninos.
O professor sapinho juntou todos os bichinhos do Sítio e explicou todas as regrinhas para não acontecerem mais imprevistos.

7 comentários: